sábado, 25 de abril de 2009

Harmônicos

Já falamos um pouco sobre tom puro, mas para recordar, o tom puro é um som formado por uma única frequência e é representado por uma curva senoidal. No entanto, o tom puro não existe na natureza, isso porque qualquer emissor vibra ao produzir um som e essa vibração acaba produzindo sons secundários oriundos do próprio material que o compõe e derivados do som básico.

Exemplo: Quando tocamos uma nota em um violão (Um único toque em uma única corda) produzimos um tom puro, mas outras cordas acabam ressoando, a caixa e o braço também ressonam e toda essa vibração produz diversos tons que acabam compondo um tom complexo. Logo, o tom complexo é um conjunto de várias frequências.

O tom principal que gera um som complexo é sempre o mais grave e de maior amplitude (volume) e é chamado de tom fundamental ou frequência fundamental.

As demais frequências que compõem o som complexo são chamadas de harmônicos.
Imagem obtida em: Física da música - CDCC Universidade de São Paulo
(
http://www.cdcc.sc.usp.br/ondulatoria/musica3.html)
Acesso em 25/04/2009

"Tecnicamente a fundamental corresponde ao primeiro harmônico. A fundamental é responsável pela percepção da altura de uma nota, enquanto que os demais harmônicos participam da composição da forma de onda do som." (WIKIPÉDIA. Desenvolvido pela Wikimedia Foundation. Apresenta conteúdo enciclopédico. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Frequ%C3%AAncia_fundamental&oldid=14985316>. Acesso em: 25 abr. 2009 ).

Um comentário: